O SONHO VIROU REALIDADE!!

Boeing se prepara para entregar um número recorde de encomendas do 787 Dreamliner, seu novo e revolucionário avião de passageiros que está em fase de testes para certificação
O novo 787 Dreamliner, o avião comercial que promete mudar — para melhor — a forma com que estamos acostumados a voar. Assim como o inglês Comet e o Boeing 707, os primeiros jatos a transportar passageiros no mundo na década de 1950, o Dreamliner vai marcar uma era: a dos aviões de plástico supereficientes. Melhor dizendo, CFRP (Carbon Fiber Reinforced Plastic) que significa fibra de carbono processada com outras resinas.

Foto do Boeing 787

Foto do Boeing 787
foto externa Boeing 787

Cockpit Boeing 787

Interior Boeing 787

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

Simbologias

Simbologias

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

PARTES DA ACFT - AVIÕES

PARTES DA ACFT - AVIÕES

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

ILUMINAÇÃO DA PISTA

ILUMINAÇÃO DA PISTA

AEROPORTOS E TABELAS

AEROPORTOS E TABELAS

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

Alguns Vôos que fiz com o P32R-Sertanejo

Loading...

Aeronaves que voei:

AB11-Aeroboero 115,
P32R-Sertanejo,
P28T-Corisco Turbo;
C310-Cessna 310;
PA34-Seneca II e III;
BE55-Baron 55;
BE58-Baron 58,
C208-Caravan;
Boeing 737-700/800.

sábado, 25 de agosto de 2007

O G r u p o " V A R I G ". Essa vai deixar muitas saudades.

A Varig foi criada em 07 de maio de 1927 pelo piloto da força aérea alemã Otto Ernst Meyer. Sua primeira aeronave foi um hidroavião Dornier Wal que iniciou as operações da empresa na "Linha da Lagoa" ligando Porto Alegre à cidade do Rio Grande. Aos poucos foi ampliando sua frota e suas rotas, principalmente nas décadas de 40 e 50 a empresa contou com um estrondoso crescimento. Foram adquiridos os primeiros Boeing 707 e os jatos franceses SE-210 Caravelle. Na década de 70, chegaram os primeiros jatos 727-100, 737-200 e DC-10-30, que foram introduzidos nas rotas intercontinentais da empresa. Já na década de 80 recebeu seus primeiros 747-200 que primeiramente foram colocados nas rotas para Nova Iorque, Los Angeles e Tóquio. A Varig foi a única companhia aérea brasileira a operar o Jumbo. Nos anos 90 a empresa começou a adquirir novas aeronaves, como os Boeing 737-300, 767-200ER, 767-300ER e MD-11, para substituir os modelos mais antigos, como os Electras II da ponte aérea, os 727-100 e os quadrirreatores 707. Nesta época a empresa lança suas novas rotas: Orlando, Washington, Atlanta, Hong Kong e Bangcoc.

Em 1997 a empresa se juntou com outras cinco empresas internacionais, formando a Star Alliance, em um acordo que visa basicamente oferecer vários benefícios aos usuários. Hoje já são mais de 10 empresas associadas, entre elas: Air Canada, Air New Zealand, ANA, Ansett Australia, Austrian Airlines, British Midland, Lauda Air, Lufthansa, Mexicana de Aviación, SAS, Singapore Airlines, Thai, Tyrolean Airlines, United Airlines. Além destas empresas o Grupo Varig é composto pela Rio Sul, Nordeste e Pluna. Com a forte crise que abalou o mercado internacional em 1997 a Varig viu-se obrigada a reestruturar sua área operacional, organizacional e financeira. A frota foi reduzida em 14 aeronaves, sendo retirado de serviço os Boeing 747 e os McDonnell Douglas DC10-30. Contudo a oferta de assentos foi reduzida em 20% nos vôos internacionais e em 17% nos domésticos. Hoje, a pioneira VARIG - primeira empresa de avião comercial do Brasil - ostenta números que a consagram como a maior companhia do país e da América Latina e uma das líderes do mercado mundial: Ao longo de mais de 78 anos de existência transportou mais de 210 milhões de passageiros, voou mais de 7 milhões de horas, realizou mais de 2 milhões e quinhentos mil vôos e seus aviões deram cerca de 115 mil voltas ao redor da terra. Entretanto quase esteve à falência tendo devolvido dezenas de aeronaves, demitido funcionários e voltou a operar em condições bem inferiores às anteriores perdendo, de longe, a condição de principal empresa aérea brasileira. Em 1999 a Varig recebeu o prêmio de Melhor Companhia Aérea da América Latina, Central e Caribe e também da Melhor Transportadora de Carga Aérea das Américas no Século 20.

A Fundação Ruben Berta, controladora da companhia, tem como principal objetivo prover o bem-estar dos funcionários de um conglomerado de empresas criadas a partir de um tronco principal: a VARIG. A criação da holding FRB-Par, destinada a cuidar permanentemente dos investimentos no Grupo, entre outras vantagens, permitiu maior transparência para divulgação de cada empresa; foco em cada atividade de negócios; autonomia de decisões; maximização do retorno aos acionistas e criação de oportunidades de captação de investimentos. O Grupo FRB-Par, por sua vez, controla outras três holdings:• VARIG S/A (Viação Aérea Rio-Grandense) que controla a VARIGLOG, a PLUNA e a VEM;• VARIG Participações em Transportes Aéreos S.A. (VPTA) que controla a RIOSUL, e NORDESTE;• VARIG Participações em Serviços Complementares S.A. (VPSC) que controla a SATA, REDE TROPICAL HOTELS E RESORTS BRASIL e AMADEUS BRASIL. Ao todo são 14 empresas controladas pelo GRUPO FRB-PAR. Entre 2005 a VARIG transportou 13.268.869 passageiros, obtendo a 2ª posição no período, que caiu para 3º em 2006. Ainda em 2005 a empresa voou 275.484 horas em 196.263.251 quilômetros à média de 712 km/hora.

História da Aviação Civil Brasileira

A aviação iniciou-se no Brasil com um vôo de Edmond Plauchut, a 22 de Outubro de 1911. O aviador, que fora mecânico de Santos Dumont em Paris, decolou da praça Mauá, voou sobre a avenida Central e caiu no mar, da altura de 80 metros, ao chegar à Ilha do Governador.
Era então bem grande o entusiasmo pela aviação. Na redação do jornal "A Noite", no dia 14 de Outubro, fundava-se o Aeroclube Brasileiro, que em janeiro do ano seguinte teria sua escola de aviação. Aí, como muitos outros, aprendeu a voar o primeiro ás da aviação brasileira, o capitão Ricardo Kirk, que seria também o primeiro brasileiro a morrer em desastre de aviação, em 28 de fevereiro de 1915.
Em 17 de Junho de 1922, os portugueses Gago Coutinho e Sacadura Cabral chegaram ao Brasil, concluindo seu vôo pioneiro, da Europa para a América do Sul. E em 1927 seria terminada, com êxito, a travessia do Atlântico, pelos aviadores brasileiros, João Ribeiro de Barros e Newton Braga, no avião "Jaú", hoje recolhido ao Museu Ipiranga.
Iniciou-se a aviação comercial brasileira em 1927. A primeira empresa no Brasil a transportar passageiros foi a Condor Syndikat, no hidroavião "Atlântico", ainda com a matrícula alemã D-1012. A 1° de janeiro desse ano, transportou do Rio de Janeiro para Florianópolis o então Ministro da Viação e Obras Públicas, Vitor Konder e outras pessoas. A 22 de fevereiro, iniciava-se a primeira linha regular, a chamada "Linha da Lagoa", entre Porto Alegre, Pelotas e Rio Grande. Em junho de 1927, era fundada a Viação Aérea Rio-Grandense (VARIG), sendo transferido para a nova empresa o avião "Atlântico", que recebeu o prefixo nacional P-BAAA. A 1° de dezembro do mesmo ano, a Condor Syndikat, que acabara de inaugurar sua linha Rio - Porto Alegre, era nacionalizada, com o nome de "Sindicato Condor Limitada", mas tomaria, durante a II Guerra Mundial, o nome de Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul (absorvida nos anos 80 pela VARIG). Em novembro de 1927, inaugurando a linha para a América do Sul da nova companhia francesa Aeropostale chegava ao Rio de Janeiro, Jean Mermoz, que se tornaria o mais famoso aviador da época.
Em 1929, a Nova Iorque - Rio - Buenos Aires Line (Nyrba) iniciava o serviço aéreo entre essas duas cidades e o Brasil, tendo sido fundada no Brasil a Nyrba do Brasil S.A., com linha semanal entre Belém e Santos, e que se transformaria na Panair do Brasil, extinta em 1965.
A fundação do Aerolóide Iguaçú, com linha inicial São Paulo - Curitiba e logo se estendendo a Florianópolis, marcou o ano de 1933. Em novembro de 1933 era fundada por 72 empresários, a Viação Aérea São Paulo - VASP, que iniciaria em 1936 o vôo regular entre o Rio e São Paulo, a linha de maior tráfego da aviação brasileira.
A extensão do país e a precariedade de outros meios de transporte fizeram com que a aviação comercial tivesse uma expansão excepcional no Brasil. Em 1960, o país tinha a maior rede comercial do mundo em volume de tráfego depois dos Estados Unidos. Na década de 1950, operavam cerca de 16 empresas brasileiras, algumas com apenas dois ou três aviões e fazendo principalmente ligações regionais. Se destacava na amazônia, a então SAVA S.A. - Serviços Aéreos do Vale Amazônico, com sede em Belém, fundada pelo Comandante Muniz e que com a ajuda do seu amigo e, futuro Brigadeiro e Ministro da Aeronáutica Eduardo Gomes conseguiu a concessão presidencial para vôos regulares de passageiros e cargas.
A crise e o estímulo do governo federal às fusões de empresas reduziram esse número para apenas quatro grandes empresas comerciais (VARIG, VASP, TransBrasil e Cruzeiro). Muitas cidades pequenas sairam do mapa aeronáutico, mas ainda nessa mesma década organizaram-se novas empresas regionais, utilizando inicialmente os aviões turbohélices fabricados no Brasil pela Embraer, Bandeirante EMB-110.
A VARIG absorveu a Cruzeiro e adquiriu outras empresas regionais, se transformando no início desse século XXI como a maior transportadora da América Latina e a então regional TAM, dirigida pelo Comandante Adolfo Rolim Amaro - falecido em Julho de 2001 em acidente de helicóptero no Paraguai -, se transformou na segunda maior empresa do continente sul-americano. VASP e Gol também se destacam como empresas comerciais. A TransBrasil paralisou suas atividades no final de 2001.

sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Como se tornar um piloto de avião

Curso de Piloto Privado - Avião:

Na preparação de pilotos para a aviação civil, o curso de piloto privado - avião (PP-A), embora não se destine à preparação profissional, constitui-se objeto de estudo e padronização no âmbito do sistema de aviação civil, por se tratar de preparo básico para os outros níveis da carreira, tais como piloto comercial e piloto de linha aérea.
Neste curso, o aluno terá várias atividades, tais como conhecimentos técnicos das aeronaves, meteorologia, navegação aérea, teoria de vôo - aerodinâmica, regulamento de tráfego aéreo, segurança de vôo, sistema de aviação civil, medicina aeroespacial, palestras e visitas programadas nas organizações ligadas à aviação.

Requisitos para inscrição de candidatos ao curso de piloto privado:
a) idade mínima - 18 anos, a serem completados até a data do exame prático do DAC para a obtenção da Licença de Piloto Privado - Avião. Entretanto, o candidato poderá: cursar a parte teórica com 16 anos; iniciar o vôo com 17 anos devidamente autorizado pelos pais; prestar o exame e obter a Licença de Piloto Privado para voar, com 18 anos completos;
b) Nível mínimo de escolaridade - 1° grau completo, realizado em estabelecimento de ensino público ou privado devidamente autorizado.

Documentação:
No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar os seguintes documentos:
Candidados brasileiros: ficha de inscrição/matrícula preenchida; carteira de identidade (maiores de 18 anos) ou certidão de nascimento (menores de 18 anos); comprovante de conclusão do 1° grau ou equivalente; título de eleitor; cpf dos candidatos maiores de 18 anos ou do responsável pelo candidato menor; certificado de reservista ou de alistamento militar; e duas fotos 3 x 4 recentes.
Candidatos estrangeiros: ficha de inscrição/matrícula preenchida, comprovante de conclusão do 1° grau ou equivalente; título de eleitor; duas fotos 3 x 4 recentes, além do documento de identificação pessoal (passaporte ou registro nacional de estrangeiro).

Processo de seleção:
Os candidatos serão selecionados obedecendo a critérios da escola oferecedora do curso, por meio de entrevista com o Diretor de Ensino, Coordenador de Curso ou pessoa habilitada e credenciada pelo Coordenador.

Duração do curso: 04 (quatro) meses.

Curso de Piloto Comercial - Avião:

O curso de Piloto Comercial - Avião, é uma continuidade do curso de Piloto Privado e dá início à parte profissional como piloto, permitindo a você voar e ser remunerado. Você está iniciando sua carreira como piloto e seu passo seguinte será o de Piloto de Linha Aérea, que lhe permitirá voar como piloto na aviação de linha aérea regular. É a maior licença que você obterá nesta profissão, a de PLA (Piloto de Linha Aérea).
Neste curso, o aluno terá várias atividades, tais como: conhecimentos técnicos das aeronaves; meteorologia; navegação aérea - 2ª parte; teoria de vôo - aerodinâmica de alta velocidade; regulamentação de tráfego aéreo - IFR; segurança de vôo; sistema de aviação civil; medicina aeroespacial; palestras e visitas programadas nas organizações ligadas à aviação.

Requisitos:
Idade mínima de 18 anos, nível de escolaridade 2° grau completo, realizado em estabelecimento público ou privado devidamente autorizado e experiência como piloto - ser portador da Licença de Piloto Privado - Avião.

Documentação necessária:
No ato da inscrição o candidato deverá apresentar os seguintes documentos:
Candidados brasileiros: ficha de inscrição/matrícula preenchida; carteira de identidade; comprovante de conclusão do 2° grau ou equivalente; título de eleitor; cpf; certificado de capacidade física 1ª classe; certificado de reservista ou de alistamento militar; e duas fotos 3 x 4 recentes.
Candidatos estrangeiros: ficha de inscrição/matrícula preenchida; licença especial concedida pelo Departamento de Aviação Civil - DAC, conforme legislação em vigor; e duas fotos 3 x 4 recentes.

Processo de seleção:
Os candidatos serão selecionados obedecendo a critérios da escola oferecedora do curso, por meio de entrevista com o Diretor de Ensino, Coordenador de Curso ou pessoa habilitada e credenciada pelo Coordenador.

Duração do curso: 04 (quatro) meses.

Curso de Piloto de Linha Aérea:

Objetivo geral do curso: O curso de Piloto de Linha Aérea - Avião, propõe-se a fornecer subsídios teórico-práticos fundamentais destinados a capacitar o aluno para atuar como piloto em comando de aviões em serviços de transporte aéreo, com eficiência e segurança, na qualidade de representante da empresa e do país de origem.
Assim sendo, o curso foi concebido de maneira a contribuir para:
a) ampliar os conhecimentos gerais do piloto com relação ao contexto em que atua, fornecendo-lhe subsídios básicos sobre o Sistema de Aviação Civil;
b) capacitar o piloto a responder às exigências da evolução tecnológica, no comando de aeronaves de última geração, proporcionando-lhe revisão, atualização e ampliação de conhecimentos técnicos e científicos;
c) ampliar a compreensão do piloto a respeito da influência do fator humano na segurança do vôo;
d) capacitar o piloto a administrar eficazmente os recursos na cabine de comando, propiciando-lhe o desenvolvimento de habilidades pertinentes à competência interpessoal.

Corpo discente:
Para que um aluno possa fazer matrícula no curso, deverá possuir licença de PC-Avião, possuir habilitação atualizada em vôo por instrumentos ou estar matriculado em curso homologado para esta habilitação. Considerando que o curso contém assuntos cuja complexidade exige do aluno um nível elevado de conhecimentos e experiência e que visa a capacitar o piloto para exercer a função de comando, objetivo cuja consecução requer que seja o mais curto possível o espaço de tempo decorrido entre o término do curso e o exercício da função, a fim de que não se percam os conhecimentos adquiridos, a entidade de instrução profissional deverá dar prioridade aos candidatos que tenham atingido as metas exigidas no RBHA-61 para concessão de licença de PLA-Avião ou que venham a atingi-las até o final do curso. Poderão, também, matricular-se no curso, pilotos portadores de Licença de Piloto de Linha Aérea - Avião, com vista ao seu aperfeiçoamento profissional. Este curso é de fundamental importância para aqueles que se propõem operar a nível de comandante em linhas aéreas de transporte de passageiros. Aprende-se as técnicas modernas dos sistemas de aeronaves até os aspectos organizacionais, jurídicos e de segurança da aviação civil.

Duração do curso: 04 (quatro) meses.

quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Essa é minha música...

Como era difícil acreditar Que eu ia chegar onde estou
Que minha vida iria mudar, e mudou
Dificuldade então Passava eu, meu pai, minha família e meus irmãos
Sem perceber larguei a escola
E fui pra rua aprender
Andar de skate, tocar, fé
Corri pra ver o mar
Fui atrás do que quis
Sabia só assim, podia ser feliz
Eu quero ser feliz
Quem não quer ser feliz, me diz?
Então é preciso chegar em algum lugar
Ter algo bom pra comer e algum
Lugar pra se morar
Satisfeito então,
Eu faço a preza pros irmãos
Consciente , pé no chão
Daqui nada se leva,
De coração eu faço a preza
Existe sempre um outro jeito
De se poder chegar
Existe sempre um outro jeito
De se poder chegar
Existe sim , sangue bom
Sempre sonhei em fazer
O som que fosse a cara
E então poder chegar em algum lugar
Ver a garota sorrir
A galera pular, a multidão a me chamar
Ah! Que lindo está...
Dizem que ele é bom
Eu também mostro quem eu sou
Se aquele mano se ligou
E aquele não, demorou
Os manos ali detrás
Podem ensinar você
Dei um trocado pra um pivete no farol
Olhei pro lado estava o pai, pensei “velho filho da puta , explorador!”
Mas vai saber...sei lá...cada um tem sua historia
Eu estou aqui pra aprender , não pra julgar
Quem pode me julgar ?
Pelo menos desde cedo o pivete
Vai a aprender a se virar
Graças a Deus , eu não tive um pai assim
Meu pai um grande homem,
Me ensinou como ser homem também
Longe do velho eu passei fome
Isso é passado, amém
Mas eu tive quem sempre
Olhou por mim...