O SONHO VIROU REALIDADE!!

Boeing se prepara para entregar um número recorde de encomendas do 787 Dreamliner, seu novo e revolucionário avião de passageiros que está em fase de testes para certificação
O novo 787 Dreamliner, o avião comercial que promete mudar — para melhor — a forma com que estamos acostumados a voar. Assim como o inglês Comet e o Boeing 707, os primeiros jatos a transportar passageiros no mundo na década de 1950, o Dreamliner vai marcar uma era: a dos aviões de plástico supereficientes. Melhor dizendo, CFRP (Carbon Fiber Reinforced Plastic) que significa fibra de carbono processada com outras resinas.

Foto do Boeing 787

Foto do Boeing 787
foto externa Boeing 787

Cockpit Boeing 787

Interior Boeing 787

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

Simbologias

Simbologias

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

PARTES DA ACFT - AVIÕES

PARTES DA ACFT - AVIÕES

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

ILUMINAÇÃO DA PISTA

ILUMINAÇÃO DA PISTA

AEROPORTOS E TABELAS

AEROPORTOS E TABELAS

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

Alguns Vôos que fiz com o P32R-Sertanejo

Loading...

Aeronaves que voei:

AB11-Aeroboero 115,
P32R-Sertanejo,
P28T-Corisco Turbo;
C310-Cessna 310;
PA34-Seneca II e III;
BE55-Baron 55;
BE58-Baron 58,
C208-Caravan;
Boeing 737-700/800.

sábado, 24 de novembro de 2007

Autonomia mínima regulamentar

Aeronaves de aviação geral:
Diurno e noturno
Aviões: DEP A – ARR B + 45min(reserva)
Helicópteros: DEP A – ARR B + 20min(reserva)

Aeronaves de transporte público:
Diurno
Aviões: DEP A – ARR B + 30min(reserva)
Helicópteros: DEP A – ARR B + 20min(reserva)
Noturno
Aviões: DEP A – ARR B + 45min(reserva)
Helicópteros: DEP A – ARR B + 30min(reserva)

Aeronaves de transporte público não regular – motor convencional:
Aviões: DEP A – ARR B – ALTN + 45min(reserva)
Helicópteros: DEP A – ARR B – ALTN + 30min(reserva)

Aeronaves turbohélice. Empresas Domésticas/Regionais:
Aviões: DEP A – ARR B - ALTN + 45min(reserva)

Aeronaves turbohélice. Empresas Estrangeiras:
Aviões: DEP A – ARR B – ALTN + 30min(reserva) + 15% do tempo de vôo da partida A à alternativa ou voar com 90min direto.

Aeronaves a reação. Todas as empresas aéreas.
Aviões: DEP A – ARR B – ALTN + 30min(reserva) + 10% do tempo de vôo da partida A à chegada B.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Wind Shear

Um fenômeno meteorológico preocupante para a preocupação de uma aeronave em vôo são as “Tesouras de vento” também conhecidas pelas iniciais WS(do inglês Wind Shear), um fenômeno de difícil identificação ou percepção.

São fenômenos extremamente violentos que causam grande variação na velocidade e direção dos ventos fazendo com que a aeronave perca ou ganhe altura em frações de segundos.

Para se ter uma idéia da força gerada por uma WS, basta dizer que elas são capazes de tirar do eixo de decolagem uma aeronave de grande porte com 300/400 passageiros, carga e milhares de litros de combustível, fazendo-a parecer uma pluma.

Algumas aeronaves possuem um radar para a detecção da WS e nas cabeceiras de vários aeroportos pelo mundo estão sendo instalados radares que detectam e informam a presença destas “tesouras de vento” o que desaconselha o prosseguimento da missão.

As WS, são geralmente formadas a baixas altitudes, portanto mais sentidas durante os pousos e decolagens. Mas são também encontradas a 1000/5000/10000fts.

Recomendações de segurança: Chegadas bruscas de instabilidade, trovoadas, presença de nuvens de desenvolvimento vertical, encontro de brisas marítimas e terrestres, ventos fortes de superfície, ondas de montanha, inversão de temperatura, dentre outros, são indicativos da possível presença de WS e põem em risco as operações. Atenção quando algumas dessas condições forem identificadas.

(As pesquisas e os estudos a respeito dos fenômenos atmosféricos, estão longe de serem esgotadas e os fenômenos de serem definitivamente explicados).

Deslocamento da atmosfera – vento

A atmosfera é dinâmica, seu movimento pode ser alterado por vários fatores naturais, como diferenças de pressão, temperatura ou relevo.

Os helicópteros e aviões são bastante sensíveis a alterações na direção e intensidade dos ventos, principalmente dos ventos de superfície(que influem nas operações de pouso e decolagem).

Estas aeronaves, no entanto, causam elas mesmas, movimentações na atmosfera. Estas movimentações, que são proporcionais ao tamanho da aeronave que a causa, são geradas pelo deslocamento do ar e são chamadas de “esteira de turbulência”.

Elas podem causar a outra aeronave que se aproxima, a perda de controle e sustentação.

Diferentes das esteiras de turbulência, as “trilhas de condensação de vapor”, (observadas por exemplo, na passagem de um jato a grande altitude), deixam visualizar melhor o que seria uma esteira de turbulência, guardadas as devidas proporções.

Nota de segurança: Quando tiver que decolar imediatamente após a decolagem de outra aeronave, aguarde o tempo necessário para fazer sua operação com segurança(este tempo é decorrente do tipo e características da aeronave que decolou na frente) e só então faça a sua decolagem. O mesmo se aplica ao pouso e ao cruzamento por trás de aeronaves no solo. Principalmente se o aeródromo não dispor de controladores de tráfego.

Helicópteros também geram esteiras de turbulência.

Pousos e decolagens devem ser feitos sempre com vento de proa.

Para vôo pairado, o helicóptero deve estar aproado contra o vento, sempre!

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

O ambiente de vôo

O vôo pairado e o deslocamento de aeronaves ocorrem no ar (chamado atmosférico), cuja composição é de 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e 1% de outros gases.

O ar é o “propulsor” das asas, das fixas e das rotativas, pois o que faz com que as aeronaves voem é a diferença de pressão entre o ar que passa na parte superior e o que passa pela parte inferior das asas. A pressão na parte inferior se torna maior que a pressão na parte superior, fazendo a aeronave ir para cima.

É a densidade do ar que determina a melhor condição(atmosférica) para a realização de um vôo.

QUANTO MAIS DENSO, MELHOR!

Esta densidade pode variar em função da temperatura, pressão e umidade; geralmente nesta ordem de importância.

Temperatura – quanto mais quente; maior a dificuldade de vôo, pois na medida em que se aquecem, as moléculas do ar expandem e ficam menos compactas, tornando-o menos denso.

Pressão Atmosférica – A pressão atmosférica ao nível do mar(maior) comprime as moléculas de ar, deixando-o mais denso.

Na medida em que se sobe em relação ao nível do mar, a pressão atmosférica diminui, reduzindo a densidade do ar(moléculas mais afastadas). É por isso que as decolagens em lugares altos são operações mais trabalhosas, e requerem cuidados extras.

Umidade – O vapor de água é mais leve(menos denso) que o ar, portanto sua densidade é menor.

Resumindo, a melhor condição atmosférica para o vôo, ou seja, aquela que resulta em maior eficiência aerodinâmica, é a que envolve baixas temperaturas, altas pressões atmosféricas(nível do mar por exemplo) e ar seco.

Recomendações de segurança: os cuidados na operação da aeronave devem ser redobrados quando quaisquer destas condições forem encontradas! Temperatura elevada, operações em locais altos, muito denso.

Reduzir a carga, fazer mais uma escala para abastecimento devem ser consideradas quando necessário.

ISA – International Standard Atmosphera

Atmosfera Padrão Internacional

- 40° Latitude Norte

- MSL(mean sea level – nível médio do mar)

- Ar seco

- Temperatura 15°

- Pressão = 1013,2hPa

QFE/Altímetro/Ajuste ZERO – Quando a pressão da estação ou do aeródromo(hPa) é ajustada no altímetro da aeronave, este indicará altura zero, enquanto esta permanecer no solo.

QFF - Pressão da estação ao nível médio do mar, usada apenas para fins meteorológicos.

QNE/PRESSÃO PADRÃO – É a pressão ao nível médio do mar, padronizada em 1013,2hPa(ISA). Quando ajustado no altímetro da aeronave, é chamada Altitude Pressão ou NÍVEL DE VÔO.

QNH/Ajuste do Altímetro – É a pressão da estação reduzida ao nível médio do mar(hPa), quando no altímetro, este indicará a altitude da estação/aeródromo.

sábado, 17 de novembro de 2007

Profissão piloto...

Conta a lenda que, quando Deus liberou o conhecimento para os homens de como voar, determinou que aquele "saber" ficaria restrito a um grupo muito selecionado de sábios.
Porém, neste pequeno grupo, onde todos se achavam "semi-deuses", alguém traiu as determinações divinas...
Aí, o pior aconteceu!!!!!!........
Deus, bravo com a traição, resolveu fazer valer alguns mandamentos:

1º - Não terás vida pessoal, familiar ou sentimental.
2º - Não verás teus filhos crescerem .
3º - Não terás feriado, fins de semana ou qualquer outro tipo de folga.
4º - Terás gastrite, se tiveres sorte. Se for como os demais terás úlcera.
5º - A pressa será teu único amigo e as suas refeições principais serão os lanches.
6º - Teus cabelos ficarão brancos antes do tempo, isso se te sobrarem cabelos.
7º - Tua sanidade mental será posta em cheque antes que completes 10 anos de trabalho .
8º - Dormir será considerado período de folga, logo, não dormirás.
9º - Trabalho será teu assunto preferido, talvez o único.
10º - As pessoas serão divididas em 2 tipos: as que entendem de aviões e as que não entendem. E verás graça nisso.
11º - A cabine será a tua melhor colega de trabalho.
12º - DO's e aeroportos serão excelentes oportunidades de ter algum tipo de contato com outras pessoas loucas como você.
13º - Terás sonhos, com CB's,check list's manuais e não raro, resolverás problemas do vôo neste período de sono.
14º - Exibirás olheiras como troféu de guerra.
15º - E, o pior........ inexplicavelmente gostarás de tudo isso...

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

ELT – Transmissor Localizador de Emergência.

"Emergency Locator Transmitter"(ELT) é o equipamento que permite a localização de uma aeronave acidentada, tanto em terra quanto no mar.

Simplificadamente, ele é um rádio transmissor, que instalado na aeronave, transmite automaticamente, sinais para a localização do ponto em que se encontra.
Estes sinais são emitidos mesmo em condições adversas como submersão em líquidos(água do mar, por exemplo). Dependendo do modelo, ele é acionado quando a aeronave sofre uma brusca desaceleração ou elevado número de G(força de ação que exerce a gravidade). Também pode ser acionado manualmente.
Para saber a localização do ELT na aeronave, procure pelo triângulo amarelo com a inscrição ELT.
Frequência de transmissão: 121.5MHz/Sinal de SOS ou em 234.0MHz para aeronaves militares e 406MHz.
Este último informa para o satélite, com mais precisão. A sua margem de erro chega a poucos metros de sua posição real.

Recomendação de segurança: Deve-se tomar os cuidados para que este equipamento não seja acionado inadequadamente, pois isto mobilizará indevidamente os órgãos envolvidos na busca e salvamento de aeronaves, fazendo-os perder um tempo valioso.

Nota: Os satélites que captam o sinal ELT, realizam uma órbita completa em média em uma hora, necessitando mais uma ou até duas, para confirmação deste sinal.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Prece dos Aviadores

Ó Maria, Rainha do céu, gloriosa Padroeira da Aviação, ergue-se até vós a nossa suplica.
Somos pilotos e aviadores do mundo inteiro e, arrojados aos caminhos do espaço, unidos em laços de solidariedade as nações e os continentes, queremos ser instrumentos vigilantes e responsáveis da paz e do progresso para as nossas pátrias. Em vós depositamos a nossa confiança.
Sabemos a quantos perigos se expõe a nossa vida. Velai por nós, Mãe piedosa, durante os nossos vôos. Protegei-nos no cumprimento do árduo dever cotidiano.
Inspirai-nos os vigorosos pensamentos da virtude e fazei com que os mantenhamos fiéis aos nossos compromissos de homens e de cristãos.
Reacendei em nossos corações o anelo dos bens celestiais, vós que sois a Porta do Céu e guiai-nos, agora e para sempre, nas asas da fé, da esperança e do amor.

Amém.

Oração oficial à Padroeira dos Aviadores, nossa Senhora de Loreto, mandada compor por Sua Santidade o Papa Paulo VI, a pedido pessoal do Brigadeiro Eduardo Gomes, quando de sua visita ao Vaticano(maio de 1967).