O SONHO VIROU REALIDADE!!

Boeing se prepara para entregar um número recorde de encomendas do 787 Dreamliner, seu novo e revolucionário avião de passageiros que está em fase de testes para certificação
O novo 787 Dreamliner, o avião comercial que promete mudar — para melhor — a forma com que estamos acostumados a voar. Assim como o inglês Comet e o Boeing 707, os primeiros jatos a transportar passageiros no mundo na década de 1950, o Dreamliner vai marcar uma era: a dos aviões de plástico supereficientes. Melhor dizendo, CFRP (Carbon Fiber Reinforced Plastic) que significa fibra de carbono processada com outras resinas.

Foto do Boeing 787

Foto do Boeing 787
foto externa Boeing 787

Cockpit Boeing 787

Interior Boeing 787

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

Simbologias

Simbologias

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

PARTES DA ACFT - AVIÕES

PARTES DA ACFT - AVIÕES

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

ILUMINAÇÃO DA PISTA

ILUMINAÇÃO DA PISTA

AEROPORTOS E TABELAS

AEROPORTOS E TABELAS

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

Alguns Vôos que fiz com o P32R-Sertanejo

Loading...

Aeronaves que voei:

AB11-Aeroboero 115,
P32R-Sertanejo,
P28T-Corisco Turbo;
C310-Cessna 310;
PA34-Seneca II e III;
BE55-Baron 55;
BE58-Baron 58,
C208-Caravan;
Boeing 737-700/800.

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Deslocamento da atmosfera – vento

A atmosfera é dinâmica, seu movimento pode ser alterado por vários fatores naturais, como diferenças de pressão, temperatura ou relevo.

Os helicópteros e aviões são bastante sensíveis a alterações na direção e intensidade dos ventos, principalmente dos ventos de superfície(que influem nas operações de pouso e decolagem).

Estas aeronaves, no entanto, causam elas mesmas, movimentações na atmosfera. Estas movimentações, que são proporcionais ao tamanho da aeronave que a causa, são geradas pelo deslocamento do ar e são chamadas de “esteira de turbulência”.

Elas podem causar a outra aeronave que se aproxima, a perda de controle e sustentação.

Diferentes das esteiras de turbulência, as “trilhas de condensação de vapor”, (observadas por exemplo, na passagem de um jato a grande altitude), deixam visualizar melhor o que seria uma esteira de turbulência, guardadas as devidas proporções.

Nota de segurança: Quando tiver que decolar imediatamente após a decolagem de outra aeronave, aguarde o tempo necessário para fazer sua operação com segurança(este tempo é decorrente do tipo e características da aeronave que decolou na frente) e só então faça a sua decolagem. O mesmo se aplica ao pouso e ao cruzamento por trás de aeronaves no solo. Principalmente se o aeródromo não dispor de controladores de tráfego.

Helicópteros também geram esteiras de turbulência.

Pousos e decolagens devem ser feitos sempre com vento de proa.

Para vôo pairado, o helicóptero deve estar aproado contra o vento, sempre!

Nenhum comentário: