O SONHO VIROU REALIDADE!!

Boeing se prepara para entregar um número recorde de encomendas do 787 Dreamliner, seu novo e revolucionário avião de passageiros que está em fase de testes para certificação
O novo 787 Dreamliner, o avião comercial que promete mudar — para melhor — a forma com que estamos acostumados a voar. Assim como o inglês Comet e o Boeing 707, os primeiros jatos a transportar passageiros no mundo na década de 1950, o Dreamliner vai marcar uma era: a dos aviões de plástico supereficientes. Melhor dizendo, CFRP (Carbon Fiber Reinforced Plastic) que significa fibra de carbono processada com outras resinas.

Foto do Boeing 787

Foto do Boeing 787
foto externa Boeing 787

Cockpit Boeing 787

Interior Boeing 787

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

MÍNIMOS METEOROLÓGICOS PARA OPERAÇÃO VFR

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

METAR - METEOROLOGICAL AVIATION ROUTINE

Simbologias

Simbologias

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

TIPOS DE NUVENS E PRESSÃO ATMOSFÉRICA

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

CARTAS AERONÁUTICAS (SIMBOLOGIA)

PARTES DA ACFT - AVIÕES

PARTES DA ACFT - AVIÕES

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

TABELAS DE NÍVEIS DE CRUZEIRO E ALFABETO FONÉTICO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

CIRCUITO DE TRÁFEGO PADRÃO

ILUMINAÇÃO DA PISTA

ILUMINAÇÃO DA PISTA

AEROPORTOS E TABELAS

AEROPORTOS E TABELAS

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

PROCEDIMENTOS DE ESPERA, ATIS E VOLMET

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

VELOCIDADDES PARA PROCEDIMENTOS DE APROXIMAÇÃO POR INSTRUMENTOS

Alguns Vôos que fiz com o P32R-Sertanejo

Loading...

Aeronaves que voei:

AB11-Aeroboero 115,
P32R-Sertanejo,
P28T-Corisco Turbo;
C310-Cessna 310;
PA34-Seneca II e III;
BE55-Baron 55;
BE58-Baron 58,
C208-Caravan;
Boeing 737-700/800.

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

O ambiente de vôo

O vôo pairado e o deslocamento de aeronaves ocorrem no ar (chamado atmosférico), cuja composição é de 78% de nitrogênio, 21% de oxigênio e 1% de outros gases.

O ar é o “propulsor” das asas, das fixas e das rotativas, pois o que faz com que as aeronaves voem é a diferença de pressão entre o ar que passa na parte superior e o que passa pela parte inferior das asas. A pressão na parte inferior se torna maior que a pressão na parte superior, fazendo a aeronave ir para cima.

É a densidade do ar que determina a melhor condição(atmosférica) para a realização de um vôo.

QUANTO MAIS DENSO, MELHOR!

Esta densidade pode variar em função da temperatura, pressão e umidade; geralmente nesta ordem de importância.

Temperatura – quanto mais quente; maior a dificuldade de vôo, pois na medida em que se aquecem, as moléculas do ar expandem e ficam menos compactas, tornando-o menos denso.

Pressão Atmosférica – A pressão atmosférica ao nível do mar(maior) comprime as moléculas de ar, deixando-o mais denso.

Na medida em que se sobe em relação ao nível do mar, a pressão atmosférica diminui, reduzindo a densidade do ar(moléculas mais afastadas). É por isso que as decolagens em lugares altos são operações mais trabalhosas, e requerem cuidados extras.

Umidade – O vapor de água é mais leve(menos denso) que o ar, portanto sua densidade é menor.

Resumindo, a melhor condição atmosférica para o vôo, ou seja, aquela que resulta em maior eficiência aerodinâmica, é a que envolve baixas temperaturas, altas pressões atmosféricas(nível do mar por exemplo) e ar seco.

Recomendações de segurança: os cuidados na operação da aeronave devem ser redobrados quando quaisquer destas condições forem encontradas! Temperatura elevada, operações em locais altos, muito denso.

Reduzir a carga, fazer mais uma escala para abastecimento devem ser consideradas quando necessário.

Um comentário:

Anônimo disse...

gostei do post.

teria como vc me mandar essas imagens? thiago_sv12@hotmail.com


ABRAÇO!